sexta-feira, 20 de maio de 2016

Roteiros a pé - Budapeste


Após um passo a passo de como chegar até o centro de Budapeste (ou qualquer local que a bela rede de Metro deles pode te levar) a partir do Aeroporto, nada como algumas sugestões de roteiro para te inspirar a fazer o seu (ou copiar as minha sugestões) e conhecer essa bela cidade a pé.

Essas sugestões de roteiro são baseadas na minha experiência pessoal, durante os 2 dias e meio que ficamos pela cidade e exploramos bastante, andamos muito e aprendemos o que vale a pena e o que não vale a pena fazer.

Relatando um pouco da nossa experiência, chegamos na hora do almoço, comemos num fast food (Burger King) e fomos explorar uma parte da cidade que era mais próxima do nosso Hotel e espiar um pouco do belo Danúbio e suas pontes.

Roteiro 1: Mercado Central e arredores, Ponte da Liberdade, Géllert Hill Cave, Citadella.

Clique para ver no Google Maps

Mercado Central:


Como estávamos hospedados próximos à Kalvin Tér, resolvemos andar pela Vámház até o Danúbio, passando pelo Mercado Central.


Em frente ao mercado tem um Burger King e uma rua de pedestres cheia de lojinhas onde dá pra comprar várias coisas baratas, especialmente lembrancinhas.

Seguindo em frente, chegamos à imponente Ponte da Liberdade.

Ponte da Liberdade:

Ponte do lado de Pest

Ponte vista do lado de Buda
Pôs-do-Sol visto da ponte



Gellért Hill Cave

Igreja ou caverna, ou os 2? Conhecida também como caverna do São Ivan, é uma das diversas cavernas da região onde viviam heremitas que acreditavam que as águas termais (que ainda podem ser encontradas logo ao lado em Gellert Bath, eram milagrosas e curavam os doentes. Hoje uma bela capela onde pudemos ver uma missa no dia seguinte de manhã.


Citadella:

Localizada num dos pontos mais altos da cidade, de onde se tem uma bela visão do Danúbio, fica a Citadella que é uma fortificação, construída em 1851, a 235 metros de altura.

Fortaleza vista de cima
Para chegar lá certamente existem muitos passeios pelp grande volume de ônibus e carros que vimos lá no alto, mas se está disposto a subir esse pequeno morro por um caminho asfaltado e sinalizado, chega-se sem problemas a pé a partir do parque de Géllert, próximo à Ponte da Liberdade.

O parque é muito bonito, arborizado, com sinalização tanto em placas quanto no chão:

Marcações no chão
Monumento
Vista do Danúbio
Vista do Castelo de Buda
Roteiro 2: Castelo de Buda, Matthias Church, Pavilhão dos Pescadores, Torre de Maria Madalena

Roteiro Castelo de Buda - Clique para ver no Google Maps
Nosso roteiro novamente começa numa estação de Metro, pois assim fica fácil se vc estiver em qualquer lugar de Budapeste. Aliás essa estação, a Deák Ferenc Tér interliga as 3 linhas de Metro da cidade.


Saindo de lá fomos direto para a Ponte das Correntes em direção ao castelo de Buda, atravessando a bela praça onde fica a estação de Metro e seguindo pela rua q vai para a ponte.

Ponte das Correntes e ao fundo o Castelo de Buda
Atravessando a ponte, chega-se ao pé do morro onde fica o Castelo e logo de frente pode ver o Funicular, meio de subida mais turístico, e preguiçoso, para chegar lá em cima. Se não quiser gastar dinheiro como eu, a opção é subir pelo parque ao lado desse Funicular, subindo pela rua à esquerda e seguindo as trilhas até lá em cima.

Vista da Ponte a partir da entrada do parque
Funicular visto de uma das pontes do parque que atravessa a linha.
 Subindo as trilhas do Parque vai chegar ao Castelo de Buda que não é apenas um Palácio real  mas sim um Museu de História e Galeria Nacional. Diversas estátuas, fontes e obras de artes pondem ser vistar ao redor do Palácio, em seus jardins. De lá de cima, claro, a vista fantástica do Danúbio.



Matthias Church e Pavilhão dos Pescadores:

Caminhando para o lado onde chega o Funicular e seguindo o roteiro, irá passar por diversas construções que hoje são repartições públicas mas que um dia fizeram parte do palácio e arredores. Entrando numa das ruas desse pequeno bairro, irá chegar à Igreja de São Mathias e ao Pavilhão dos Pescadores. 

A igreja é realmente linda por fora mas me surpreendeu cobrarem para entrar. Como somos contra pagar para entrar em igrejas acabamos vendo só por fora.

O Pavilhão também tem sua versão paga, que é para poder subir e ver a cidade do alto dele, mas não achamos muita diferença de ver de baixo sendo que algumas estátuas estavam na parte gratuita mesmo.

Mathias Church



Monumentos no Pavilhão dos Pescadores
Torre da Igreja de Maria Madalena:

Saindo de lá a próxima parada era visitar a Torre da Igreja de Maria Madalena, na verdade o que sobrou dela. Essa torre é considerada uma das sobreviventes do pequeno distrito do Castelo e ponto de parara obrigatório para quem vai até lá em cima.


Seguindo pelas apertadas ruas, a sugestão é ir para o outro lado do distrito, oposto ao Rio, onde tem outro parque e alguns pontos de fotos, kioskes, bancos para simplesmente sentar e relaxar no caminho de volta ao Palácio.



Voltando ao Palácio de Buda, aproveite para visitar e tirar fotos nas praças, fontes, descansar da caminhada e se preparar para seguir em novos roteiros ou apenas visitar a Galeria ou o Museu. Opções não faltam para todos os bolsos e gostos.

Fonte na parte de trás do Palácio
Nós decidimos por continuar, descer o parque que subimos e seguir em frente pra conhecer outras coisas pois ainda estava cedo e o Sol só ia se pôr bem tarde. 

Como esse post está ficando muito grande, nossos outros roteiros pela cidade vão no post seguinte, q vai receber o link assim que sair do forno.