segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Budapeste - Hungria, informações úteis para marinheiros de primeira viagem

Esse post ainda está em construção mas resolvi publicá-lo pois algumas informações já são úteis e podem ajudar de alguma forma. Estou a disposição caso queiram saber mais detalhes.

Budapeste, na Hungria, é uma cidade que até pode ser visitada em 1 dia mas recomendaria pelo menos 2 ou 3, 1 para explorar cada lado da cidade, ou seja, o lado de Buda e outro para o lado de Pest e um terceiro para mais detalhes do que mais gostar. Eu e minha esposa fizemos um passeio de 1 dia pelo lado de Buda e gostaríamos de compartilhar algumas dicas de roteiro, transporte, e até locais para comer ou apenas fazer um lanche. Em outro post mostro lugares que visitamos no nosso segundo dia, pelo lado de Pest. Se usufruir bem do transporte público e curtir mais ver os locais do que entrar em cada lugar para ver detalhes, dá pra fazer os 2 lados em apenas 1 dia... mas seria bem corrido.

Mapa da Hungria e Budapest
Cartão postal da cidade - Parlamento Húngaro

Moeda Local:
Lembre que, assim como outros países do leste europeu, a moeda local aqui não é o Euro, nem o Dólar mas sim o Florin Húngaro ou HUF que é a abreviação usada. A cotação não varia tanto e durante a viagem (Maio de 2013) era fácil de converter para Reais. Apenas dividir por 100 o valor em HUF para ter uma idéia de quantos reais valia aproximadamente.

Uma dica é ter em mãos um Visa Travel Money Card, que pode ser feito em vários bancos. A carga inicial não dá pra fazer em HUF mas pode ser feita em Euros e em qualquer caixa ATM que aceite Visa, fazer uma retirada da moeda local. Se programe bem para ter uma idéia do quanto vai gastar para não sobrar muito, ou terá que passar nas casas de câmbio para vender o restante e comprar Euros. Caso esteja de partida para um país vizinho, pode trocar para alguma de suas moedas, que são várias.

Algumas notas de Florin que tiramos no caixa ATM usando o Visa Travel Money

Como chegar:
Na nossa viagem, chegamos em Budapeste de avião, pela Rianair uma empresa de voos baratos na Europa, vindo de Bruxelas (Charleroy). Porém, é possível chegar de trem vindo de Viena, Praga ou até mesmo de Bratislávia (Slováquia). Desses países também é possível chegar de ônibus, modo que escolhemos para sair daqui para Praga.


Como se deslocar na cidade:

É fácil se locomover por Budapeste. Além de 31 linhas de bondes, que cobrem todos os bairros, a cidade é orgulhosa detentora do segundo metrô mais antigo do mundo. O sistema, inaugurado em 1896, perde apenas para Londres. Se na capital inglesa o metrô é hoje extremamente eficiente e, com suas dez linhas e 270 estações, alcança praticamente todos os cantos da cidade, o de Budapeste, no entanto, não evoluiu no mesmo ritmo. São apenas 40 estações espalhadas por quatro linhas. A combinação de Metrô + Bonde (Tram) faz você ir a qualquer lugar e usamos muito nos nossos 2 dias de estadia por lá para visitar boa parte do centro e suas atrações.

Chegando de avião, pegue o 200E que faz a conexão com a linha de Metrô M3, nas estação Kobanya-Kispest. O ticket do metrô pode ser comprado no local. Pronto, agora é só ir até a estação mais próxima da sua atração ou hotel.

Caminho entre Aeroporto de Budapeste e Metrô. Clique para ver no Google Maps.
Ônibus 200E indo para o Metrô.
Entrada da estação do metrô de Kobanya-Kipest
Com relação ao Metrô e suas estações, são apenas 4 linhas (a linha 4 começou a operar em 2014) com mapa bem simples como podem ver abaixo. O ticket simples (uma viagem) custa 350 HUF e é válido em qualquer transporte (Metrô, Tram, Hev/Metro superfície, etc)

Mapa do Metrô e Hev (Metro de superfície)

O que visitar:
Num futuro post vou falar do roteiro que fizemos em detalhes.